fbpx
Agronegócio
Publicação em 16 de setembro de 2021

5 erros comuns na gestão de Armazém de grãos

A gestão de Armazém de grãos demanda tempo, planejamento, estratégia e monitoramento de atividades.

Ao gestor, cabe garantir que todos os processos aconteçam da forma mais organizada e eficiente possível.

Porém, alguns podem comprometer os resultados da operação.

As falhas podem afetar a velocidade, eficiência e produtividade de uma determinada operação do Armazém ou de toda a cadeia de processos que estão relacionadas a ela.

Dessa forma, a melhor maneira de evitar erros na gestão de Armazém é ter conhecimento sobre quais são eles, como solucioná-los e quais ações podem ajudar na prevenção.

5 erros comuns na gestão de armazém de grãos: como evitar!

Sabemos que, na maioria dos casos, os erros são identificados apenas após o processo mal sucedido ter sido iniciado ou até mesmo após concluído.

O conhecimento prévio sobre o que pode dar errado e a forma certa de resolver, gerará um impacto não só na fluidez dos processos, mas na rentabilidade do negócio.

Reunimos 5 erros comuns na gestão de armazém de grãos que podem estar passando despercebidos por você no dia a dia. Confira:

1.Realizar processos manuais

No Armazém de Grãos, é preciso executar vários processos ao mesmo tempo e ainda, essas operações podem ser agrupadas para criar fluxos de trabalho.

Porém, se um fluxo de trabalho não estiver bem organizado, pode acontecer da operação esteja sendo executada acidentalmente mais de uma vez.

Normalmente, isso ocorre quando os processos são realizados de forma manual. Pode ser que várias pessoas fiquem encarregadas com a mesma carga por exemplo, havendo uma maior chance de erro e de atividades repetidas.

E como evitar que isso aconteça?

Investir na automação dos sistemas operacionais é um método para que as atividades rotineiras sejam realizadas automaticamente, fazendo com que as chances de erros e repetições não intencionais acontecerem sejam menores, reduzindo a necessidade de interações humanas.

No Armazém, essa automação pode ajudar no controle de diversos processos, como:

  • Classificação integrada de grãos;
  • Pesagem automática, somente após estabilização da balança e com envio de dados simultaneamente;
  • Cadastro dos veículos e dos motoristas que fazem processo de recepção e expedição, utilizando o mesmo veículo sobre a balança para alimentar tickets diferentes;
  • Captura de imagem na entrada e saída do veículo com dia e hora impressos no romaneio;
  • E muito mais!

2. Não se preparar para as demandas sazonais

Sabemos que cada tipo de grão é colhido em uma determinada época do ano, por isso, o Armazém precisa estar preparado para cada período de safra.

Manter a segurança do seu Armazém de grãos também deve ser uma prioridade de gestão. Por isso, é preciso realizar a limpeza e dedetização com o objetivo de eliminar os focos de proliferação de pragas que podem infetar novos grãos.

Alguns procedimentos são recomendados, como:

  • Realizar a varredura com antecedência e, se possível, lavar toda instalação inclusive tetos e paredes;
  • Queimar o lixo obtido para evitar a infestação da nova safra;
  • Eliminar tocas de alojamento de roedores;
  • Limpar e desobstrui os canais de escoamento de água.

Sendo assim, também é recomendado realizar manutenções preventivas que preparem o Armazém para a safra que está chegando. Sendo aquela feita para reduzir/evitar falhas ou quedas no desempenho dos equipamentos:

  • Manutenção de circuitos elétricos: limpar, substituir e verificar os circuitos ajuda a evitar falhas ou revisões emergenciais;
  • Da estrutura física: reparar as rachaduras nas estruturas, identificar pontos de infiltração de água pluviais, testar e reparar o sistema de termometria e realizar a limpeza das fossas de drenagem em unidades que possuem problema de alagamento dos túneis, são alguns dos exemplos;
  • Dos maquinários: os maquinários e transportadores requerem manutenções diferenciadas, podendo ser de rotina, emergência e preventiva. Sendo necessário avaliar a performance do silo armazenador e do secador;

3. Não ter um processo logístico estruturado

A adoção de processos logísticos bem estruturados é indispensável, uma vez que esta atividade impacta diretamente na boa gestão do seu Armazém de grãos.

O processo logístico envolve todos os serviços que ocorrem na cadeia de suprimentos no que se refere à movimentação de produtos, ou seja, abrange desde o fornecimento, passando pela produção até a entrega ao cliente final!

Para isso, é preciso pensar em estratégias para reduzir os custos dos processos logísticos, já que eles consomem 12,7% do PIB (Produto Interno Bruto) do Brasil. E em 2020, apresentou um gasto de R$ 811 bilhões.

É possível analisar como desenvolver um planejamento para reduzi-los de forma segura e sem prejudicar a qualidade dos grãos. Por isso, destacamos 5 dessas práticas:

  • Criar um planejamento e mapear os processos logísticos;
  • Implementar um processo de roteirização;
  • Melhorar o relacionamento com fornecedores;
  • Ter estratégias de armazenagem, controle de estoques, distribuição e originação;
  • Investir em automatização de processos.

O passo a passo de como colocar essas ações em prática e ajudar na gestão do seu Armazém de grãos, você encontra no conteúdo completo do Blog Siagri:

Redução de custos logísticos no Armazém de Grãos

4. Não evitar as grandes filas de caminhões

No momento de realizar a descarga dos grãos, os caminhões podem ficar até 72 horas na fila de espera, sendo que o prazo máximo, estabelecido por lei, é de 5 horas!

Por isso, a gestão de pátio é indispensável para otimizar o gerenciamento do seu Armazém e melhorar sua eficiência.

Não se preocupar com essa gestão, é um dos grandes erros.

Sabemos que no Armazém, é comum utilizar uma planilha impressa para organização de fila, onde geralmente constam dados do veículo e horário de chegada.

Porém, mesmo com essa listagem, problemas podem ocorrer. E a melhor maneira de evitar com que isso aconteça é estruturar o processo de maneira que se tenha o máximo de controle sobre a cadência da unidade armazenadora a partir da automatização.

Por isso, melhorar a capacidade de recebimento dos grãos, evitando filas no Armazém, fará com quem você ganhe em agilidade e controle gerencial!

5. Não mensurar o desempenho da operação

É comum que os gestores se concentrem na resolução das questões do cotidiano, e acabem deixando de lado a avaliação do desempenho da operação.

E assim, acabam suscetíveis a erros, com dificuldades para diferenciar se a operação está realmente produtiva e não saberão onde e como melhorar.

A partir do uso de ferramentas que permitam mensurar o desempenho dos processos e ajudem na gestão do Armazém como um todo, é possível ter todas as informações armazenadas, com dados reais e monitoramento com fácil visibilidade.

Alguns dos relatórios disponíveis no ERP AgriBusiness, software completo para Armazéns, são:

  • Relatório de contratos com movimentação detalhada;
  • De saldos disponíveis por produtor com de saldos e movimentações;
  • Relatório de cargas recebidas e expedidas;
  • E muito mais!

Um software de gestão exclusivo para Armazéns, possui funcionalidades que permitem o monitoramento de indicadores de resultado, execução e aprimoramento de operações, que visam aumentar os ganhos e a rentabilidade.

Assim, é possível automatizar e evitar a maioria dos erros tão comuns na gestão do Armazém de Grãos, refletindo em toda a operação. Por isso, contar com um fornecedor de tecnologia confiável, que ofereça transparência e agilidade é sua melhor opção! Conte com o Grupo Siagri, clique aqui e conheça nossas soluções.

Marcos Souza

Marcos Souza

Coordenador da Consultoria AgroScore no Grupo. Há mais de 10 anos no Agronegócio, estruturo processos de Distribuidores de Insumos, Lojas Agropecuárias, Armazéns e Originação de Grãos.