fbpx
Agronegócio
Publicação em 05 de março de 2021

O que faz um gestor rural?

Com o passar dos anos, a demanda do mercado agrícola no Brasil se expandiu e fez com que o gestor rural tivesse que evoluir na forma de gerir seu negócio.

Algumas características fazem parte da construção de um bom gestor rural, sendo uma das mais importantes o empreendedorismo. Além disso, alguns conhecimentos específicos podem ser importantes para o gestor.

Administração rural

A administração rural é um conceito que surgiu para analisar tanto a parte econômica como as técnicas agrícolas das propriedades rurais.

Seu principal foco é o controle de recursos (materiais, humanos, financeiros e outros) que auxilia o gestor a alcançar bons resultados.

De acordo com pesquisadores, a gestão de um negócio rural pode ser dividida em algumas partes: controle de mão de obra; controle de estoque; controle de máquinas e equipamentos agrícolas; controles agronômicos, zootécnicos, entre outros.

Funções Administrativas do gestor rural

Em todas as áreas, gestores seguem quatro conceitos importantes dentro de um negócio: as funções administrativas. Dentro de cada uma delas se encontram tarefas que cabem ao gestor rural delegar para seus funcionários.

Planejar, Organizar, Dirigir e Controlar são as funções administrativas necessárias para a gestão do negócio. Também conhecidas pela sigla PODC .

Planejar

O primeiro passo do planejamento é definir os objetivos do negócio e o caminho para se chegar até eles. Para isso, é necessário discutir as prioridades para fazer um plano de safra que atenda às necessidades do negócio.

Nos negócios agrícolas, o planejamento da safra acontece antes do início de um novo plantio. É nessa fase que o gestor rural estima qual será a área produtiva, levanta o custo previsto com insumos e traça a meta da produtividade que pretende alcançar.

Alguns passos a serem seguidos são a análise do solo, o cálculo do tamanho da área disponível para a lavoura, cálculo do período de cultivo, a manutenção de maquinário, consultas técnicas, balanço de mão de obra e a quais serão os fornecedores de insumos.

Vale salientar que o planejamento da safra está conectado ao planejamento de estoque e financeiro do negócio de produção agrícola.

É um bom momento para o gestor verificar os erros cometidos em safras anteriores, fazer diagnósticos e correções de solo (se necessário), além do manejo de pragas.

Organizar

A organização é uma função administrativa ligada diretamente aos recursos de um negócio. Depois de definir seu plano de metas, o gestor começa a distribuir as funções necessárias para alcançar esses objetivos.

Por isso, é necessário organizar os setores e distribuir suas necessidades entre os departamentos e profissionais necessários. O gestor rural deve saber como se organizar individualmente e coletivamente.

Na organização, as pessoas certas são colocadas nos lugares certos. Além disso, as normas e as regras do negócio rural são definidas, assim como os fluxos de trabalho.

Durante essa fase, é importante revisar processos como o de gestão de compras, controle de orçamento e das movimentações financeiras. Em muitos negócios agrícolas, estes processos não existem de forma estruturada.

É essencial buscar as melhores práticas do mercado e um caminho pode ser conversar com outros gestores rurais para ter uma referência.

Outro importante item é a gestão de custos, pois ela deve ser disseminada entre os colaboradores e sócios, fazendo com que todos trabalhem de forma integrada. Faz parte da gestão de custos registrar todas as despesas (diretas e indiretas) de cada setor do negócio agrícola.

Também faz parte da gestão de custos monitorar os gastos tributários, com mão de obra, capital de giro, depreciações, manutenções e seguros. Com os custos monitorados, o gestor rural consegue tomar melhores decisões no negócio.

Dirigir

Direção significa liderança, que é a capacidade de gerir os recursos humanos de uma entidade. Diferente de organizar, dirigir não é sobre a distribuir de tarefas e sim sobre motivar e influenciar seus funcionários.

Para liderar, é necessário que o gestor rural tenha muita inteligência emocional – capacidade de se comunicar com as emoções dos colaboradores do escritório e comunicar as suas próprias emoções. Dirigir é sobre criar um clima produtivo no ambiente de trabalho.

Cabe ao gestor rural tomar decisões assertivas, mas de uma maneira que atraia e retenha bons funcionários ao seu negócio.

Controlar

Para garantir que o planejamento e a distribuição de tarefas sejam cumpridos, cabe ao gestor rural controlar seu negócio. Por isso, muitos administradores criam padrões de desempenho para comparar o ideal e o que está sendo feito em um negócio.

Esse controle deve ser feito através de números, utilizando indicadores técnicos e planilhas. Além disso, cabe ao gestor ter comprometimento com seu negócio acompanhando o andamento das atividades, avaliando resultados e tomando medidas corretivas.

Uma das técnicas utilizadas pelo gestor rural para controle de todas as transações financeiras de um negócio agrícola é o fluxo de caixa – um registro de todos os custos e receitas do negócio que serve para análise de investimentos.

Produção, armazenagem e logística

Cabe ao gestor rural fazer o controle de produção de seu negócio agrícola. É claro que o apoio de profissionais da área técnica, como o engenheiro agrônomo e o gerente de produção, ajuda o gestor a ter mais base para gerir a produtividade das lavouras.

Bons consultores de negócios também são profissionais disponíveis no mercado para esse auxílio. Além disso, a atenção e o planejamento do frete de cargas para safra é um ponto chave depois da colheita, que quando bem feito pode prevenir possíveis perdas.

Um ponto importante para produtores rurais é a questão da armazenagem de grãos. É preciso entender as prioridades do negócio e avaliar se vale à pena investir em um armazém próprio.

Também é preciso seguir boas no armazenamento. O Blog Siagri tem um conteúdo inteiro voltado para esse tópico.

Sucessão familiar

Nos negócios rurais, o envolvimento da família é algo comum, por isso, familiares de diversas gerações podem fazer parte dos sócios.

Atualmente a sucessão familiar está diferente de outros tempos. O número de sucessores interessados em tocar a propriedade rural tem diminuído, fazendo com que muitas vezes seja necessário buscar no mercado opções de profissionais para gerenciar o negócio.

Por isso, um planejamento sucessório é uma importante questão a ser tratada pelo gestor rural.

A criação de diretrizes e busca por profissionais que possam apoiar neste processo, como as consultorias especializadas, ajudam na sustentabilidade do negócio e perpetuação do patrimônio.

Gestão financeira

Em um negócio agrícola, o primeiro passo para uma gestão financeira é a integração de todas as atividades da propriedade rural.

Assim, o administrador vai saber os custos e ganhos de cada uma delas e, com isso, a análise de custos financeiros fica mais fácil de ser realizada. Dessa forma também fica mais fácil controlar os pagamentos, evitando multas por atrasos.

Esse registro é muito importante para a fabricação do Livro Caixa Digital do Produtor Rural (LCDPR), que é a declaração anual obrigatória dos produtores rurais exigida pela Receita Federal para controle do agronegócio no Brasil.

Recursos Humanos

Um gestor rural precisa ainda conhecer e dirigir seus recursos humanos, sabendo a quantidade de mão de obra disponível para seu negócio e quais são as habilidades inseridas dentro desse corpo de funcionários.

Capacitação da mão de obra

Para o crescimento de um negócio, o investimento da capacitação da mão de obra pode fazer a diferença. Ter boas ferramentas e equipamentos não adiantam quando os colaboradores de um negócio agrícola não sabem como usá-los.

Por isso, oferecer treinamentos melhora a qualidade dos produtos e a eficiência de um negócio rural. Além disso, essas ações estimulam a mão de obra e ajudam na construção da satisfação coletiva do ambiente de trabalho.

Investimento em tecnologia

Um sistema integrado de gestão agrícola facilita diversas etapas da administração do negócio. Através de um software, o gestor rural consegue acompanhar diariamente os indicadores de desempenho que precisa, sem gastar tempo preenchendo diversas planilhas.

Com o ERP AgriManager, do Grupo Siagri, é possível acessar relatórios e históricos de parceiros em poucos minutos e fazer o planejamento da safra de um negócio agrícola. Além de fazer gestão de maquinário, aplicações, produtividade e monitorar o consumo de insumos.

Conclusão

Muitas funções são as funções do gestor rural e cada vez mais, a evolução da gestão se torna um fator decisivo para os resultados das propriedades produtoras do país.

Na hora de assumir esse papel, o produtor rural precisa estar atento a técnicas de administração e a conhecimentos específicos da atividade agrícola.

O uso da tecnologia através de um software de gestão pode ser um grande aliado do gestor rural. Saiba mais sobre o ERP AgriManager, solicitando uma demonstração com um dos consultores do Grupo Siagri.

Leonardo Borges Mendonça

Leonardo Borges Mendonça

Administrador, com MBA em Gestão de Negócios, Controladoria e Finanças. Mais de 10 anos de experiência em gestão e tecnologia para agronegócio. Especialista em desenvolvimento e auditoria de processos na gestão de produção rural.