fbpx
Agronegócio
Publicação em 05 de outubro de 2020

Plano Safra 2020/21: aproveite melhor o crédito rural

Iniciar uma safra requer planejamento e recursos, mas nem sempre a questão financeira está em dias e nessa hora é preciso recorrer a um crédito bancário. E para o produtor rural, é isso que chamamos de Plano Safra.

O Plano Safra existe para que esse dinheiro seja mais acessível para custear as operações, inovações e comercialização, principalmente para pequenos e médios produtores.

Mas quais são as linhas de crédito disponíveis? E as taxas? Houve alguma mudança em relação ao plano anterior?

Confira neste artigo as principais novidades do Plano Safra 2020/21 e saiba aproveitar melhor esse financiamento rural!

Entenda o Plano Safra 2020/21

O Plano Safra 2020/21 entrou em vigor dia 1º de julho de 2020 e segue até 30 de junho do ano seguinte.

Portanto, tem como objetivo principal incentivar a produção sustentável e fortalecer os pequenos e médios produtores rurais, ampliando o acesso ao crédito rural.

Neste ano, foram disponibilizados R$ 236,3 bilhões para a nova safra, R$ 13,5 milhões a mais que no ano passado!

Desse total, R$ 179,38 bilhões serão destinados ao custeio e comercialização dos produtos agrícolas. Os outros R$ 56,92 bilhões, serão destinados à infraestrutura, como a compra de maquinários e implementos agrícolas.

Assim, a produção e o abastecimento permanecem garantidos mesmo em tempos de crise.

O Mapa (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento), disponibilizou uma tabela com o volume de recursos disponibilizados e a finalidade. Confira:

Volume de recursos e suas finalidades nos Planos Safra 2019/20 e 2020/21

Fonte: MAPA

Sendo assim, na prática, isso deve resultar na contratação de 298 mil apólices e cobertura de 21 milhões de hectares em média.

Principais linhas de crédito

O Plano Safra 2020/21 apresentou mudanças nas linhas de créditos já existentes com intuito de trazer mais benefícios ao produtor rural.

Serão disponibilizados R$ 66,1 bilhões para pequenos e médios produtores investirem em suas empresas rurais.

Destes, R$ 33 bilhões serão voltados a agricultores familiares, dentro do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf).

Outros R$ 33,1 bilhões para Programa Nacional de Apoio ao Médio Produtor Rural (Pronamp).

Sendo assim, ambas as linhas de crédito têm redução nas taxas de juros em comparação com o plano 2019/2020. Confira a tabela com o volume de recursos e a distribuição por tipo de beneficiário, segundo o MAPA:

Volume de recursos e distribuição por tipo de beneficiário Plano safra 2019/20 e 2020/21

Fonte: MAPA

Novidades do Plano Safra para 2020/21

Para 2020, os recursos do Plano Safra tiveram um volume 6,1% maior que no Plano Safra 2019/20.

O aumento dos recursos deve-se a ajuste no valor previsto para as operações de investimento, além do intuito de reforçar o apoio ao setor em meio à crise econômica decorrente da pandemia da COVID-19.

Então, vamos entender as principais mudanças e novidades do Plano Safra 2020/21?

Plano sustentável

Linhas de créditos que contribuem para a sustentabilidade são oferecidas no Plano Safra 2020/2021, como o Programa para Redução de Emissão de Gases de Efeito Estufa na Agricultura (Programa ABC), que se destaca como a principal linha para financiamento de estratégias sustentáveis e contará com R$2,5 bilhões em recursos com taxa de juros de 6% ao ano.

Produtores podem usar a Linha ABC Ambiental que conta com recursos para restauração florestal, contribuindo com a adequação das propriedades rurais ao Código Florestal. Já para essa linha, a taxa de juros é de 4,5% ao ano.

Juros para custeio e comercialização

Em relação ao Plano Safra 2019/20, também houve mudanças quantos aos juros para custeio ou comercialização. Confira abaixo:

Para os agricultores que se enquadram no Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), as taxas de juros serão entre 2,75% e 4% ao ano.

Já os pequenos e médios produtores, que não entram no Pronaf, a taxa é de 5% ao ano e o restante terão juros de 6% ao ano.

Do mesmo modo, os juros para comercialização passaram a representar os seguintes valores:

  • Seguro rural

Em 2021 o Ministério da Agricultura deve possibilitar a contratação de 298 mil apólices de seguro rural, somando R$1,3 bilhão investido, segurado da ordem de R$52 bilhões e cobertura de 21 milhões de hectares.

  • Infraestrutura

Serão destinados R$2,2 bilhões para a construção de armazéns e propriedades com capacidade de até 6 mil toneladas com taxa de juros de 5% ao ano.

De acordo com o MAPA, o crédito de custeio teve alta de 39% nos primeiros 30 dias do Plano Safra 2020/2021.

O Pronamp (médios produtores) teve um aumento de 26% no número de contratos de custeio (20 mil) e de 32% no valor aplicado (R$ 3,4 bilhões).

Inovação e tecnologia

O plano safra 2020/21 também apresenta linhas de créditos voltadas para inovação e tecnologia.

De acordo com a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, os investimentos em tecnologia e inovação nesse plano cresceram 29% em comparação com a safra passada.

Sendo assim, essa medida busca alavancar o uso de técnicas mais modernas e melhorar a sustentabilidade do campo.

O programa responsável por esse tipo de linha de crédito é o Moderinfra (Programa de Incentivo à Irrigação e à Produção em Ambiente Protegido), com taxa de juros de 6% ao ano.

Agricultura Familiar

Para 2020/2021, os agricultores familiares estão permitidos a usar os recursos de R$500 milhões para financiar e reformar casas rurais. Filhos (as) de agricultores que possuam a Declaração de Aptidão (DAP) na sua unidade familiar, também poderão solicitar o financiamento.

De acordo com relatório publicado pelo MAPA, o Pronaf, destinado à agricultura familiar, cresceu 36% nos contratos (81,3 mil) e 57% em desembolso (R$ 2,8 bilhões).

Para conferir todas as mudanças e novidades do Plano Safra 2020/21 em relação à Agricultura Familiar, confira matéria completa do Canal Rural clicando aqui.

Conclusão

Neste texto você pôde conferir as principais linhas de crédito disponíveis no Plano Safra 2020/21 e as taxas de juros.

Em resumo, as principais novidades deste ano são maior aporte de investimento com condições melhores para pequenos produtores em relação ao Plano Safra de 2019/20.

Pesquise, veja em quais modalidades você pode se enquadrar, e use essa oportunidade para diminuir seus riscos e planejar investimentos!

Por fim, se o desempenho do crédito rural nos primeiros 30 dias do Plano Safra 2020/2021 superou as expectativas, é o momento certo para aproveitar alguma linha de financiamento em sua fazenda!

Cicilio Manfroi

Cicilio Manfroi

Arquiteto de Soluções no Grupo Siagri há mais de 8 anos. Responsável pela estruturação de oferta do ERP AgriManager de encontro com a produção agrícola, beneficiamento de sementes e beneficiamento de algodão.