fbpx
Agronegócio
Publicação em 26 de março de 2021

Recebimento de grãos na Revenda Agrícola: cuidados antes e após

Com as colheitas a todo vapor na maioria dos estados do Brasil, empresas do setor de Distribuição de Insumos que atuam com a modalidade Barter iniciam a operação de recebimento de grãos.

Para aqueles que optam por armazéns próprios, é importante ter uma boa infraestrutura de armazenagem, assim como boas práticas no manejo técnico dos grãos, assegurando a qualidade da produção até a entrega para as tradings.

Para a Safra 2021, são esperadas 263,1 milhões de toneladas, com crescimento de 3,5% em relação ao ano passado. Os dados são do Levantamento Sistemático da Produção Agrícola, divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Após o recebimento desses grãos, é realizada a pesagem, classificação, descarga, limpeza e armazenagem, padronização, beneficiamento e carregamento.

Sendo assim, é necessário investir na estrutura física dos silos, buscando sempre aumentar o fluxo de descarga e armazenagem das suas unidades, bem como, também é essencial estruturar processos logísticos eficientes.

Organizando para o recebimento de grãos na sua Revenda Agrícola

Sabemos que a qualidade dos grãos não pode ser melhorada, apenas preservada com um bom armazenamento.

Por isso, antes mesmo da chegada dos grãos é preciso adequar as unidades armazenadoras, com a limpeza correta.

Mas não se preocupe, o custo para a desinfecção das unidades é relativamente baixo, comparado aos benefícios que isso pode trazer.

Nesse momento, é preciso verificar qual a umidade dos grãos antes da entrada na unidade armazenadora.

Fatores como a temperatura e a aeração durante o tempo de armazenagem de grãos são fundamentais para o armazenamento correto dos produtos.

E ainda, se a unidade de armazenamento está localizada em uma região tropical, a aeração deve ser realizada cuidadosamente e com maiores fluxos de ar.

A combinação de umidade e temperatura elevada intensifica a deterioração dos grãos armazenados.

E como saber qual a umidade e temperatura ideal para o armazenamento?

Além de considerar a cultura a ser armazenada e a região, conte com uma regra básica:

Se Umidade Relativa do Ar (%) + Temperatura (Co) for igual o maior que 55,5, o seu armazenamento é seguro!

Dicas de manutenção de estruturas de armazenagem

Além das observações acima sobre os armazéns, existem mais alguns pontos de manutenção preventiva que você deve se atentar:

  • Faça inspeção visual diariamente para identificar falhas mais óbvias e realizar reposição imediata;
  • Faça inspeção técnica semanalmente, com a presença de um profissional responsável pela segurança, para identificar qualquer tipo de falha;
  • Utilize peças de qualidade na montagem e instalação das estruturas de armazenagem. Importante: é necessário utilizar o fixador correto, de acordo com a estrutura, para garantir a segurança máxima ao seu estoque;
  • Selecione pisos resistentes e faça o tratamento do solo antes de sua aplicação para suportar as altas cargas estocadas.

Cuidados após o recebimento dos grãos

Para que os grãos cheguem ao seu destino final, uma importante engrenagem da economia nacional trabalha arduamente, o setor de logística, onde 67% dos transportes rodoviários fazem parte das frotas do agronegócio brasileiro.

Com o aumento contínuo da produtividade e do mercado agro, é fundamental que a capacidade de armazenagem acompanhe essa evolução para manter a qualidade dos alimentos e o ágil fluxo de materiais, com uma infraestrutura adequada que ajude no escoamento desses grãos.

No segundo semestre de 2019, a capacidade de armazenagem agrícola nacional chegou a 177,7 milhões de toneladas. Ainda assim, é necessário boas práticas no manejo técnico dos grãos, já que, aproximadamente, 15% dos grãos são perdidos por conta de um armazenamento inadequada.

Para manter números positivos e evitar perdas, alguns cuidados são importantes no recebimento, limpeza e secagem dos grãos. Confira as boas práticas de armazenagem:

Após receber os grãos e antes de seguir para o armazenamento, é recomendado que os grãos colhidos estejam limpos, livres de impurezas, restos culturais e doenças. Sendo que há uma tolerância máxima de presença desses grãos de até 6% em lotes comerciais.

Além disso, verifique as áreas sob o piso. Elas podem ser um ponto de abrigo para os insetos até a próxima safra.

Outro cuidado que deve anteceder o armazenamento é a secagem dos grãos.

Caso a colheita tenha sido realizada em um percentual de umidade mais alto na lavoura, é necessário diminui-la para evitar o desenvolvimento de doenças e perdas na qualidade do produto durante a estocagem.

Conclusão

O recebimento da produção e do escoamento de grãos é realizado após um planejamento conforme as estimativas previstas no início da safra, desta maneira existe conexão da etapa do recebimento da produção desde o início do processo.

O Distribuidor também precisa realizar o monitoramento das lavouras dos clientes, visando reduzir riscos de recebimento e garantindo que os grãos cheguem na quantidade acordadas.

Seguindo essa lógica, contar com um sistema que auxilia no planejamento de todo serviço de recebimento, armazenagem, secagem e escoamento dos grãos, além de gerenciar operações Barter, é indispensável para o Distribuidor que necessita de organização para todas as etapas.

O Grupo Siagri conta com um ERP voltado exclusivamente para o setor de distribuição de insumos agrícolas, com um sistema completo e especializado, o ERP AgriBusiness. Quer saber como funciona na prática? Clique aqui para solicitar uma demonstração ou na imagem abaixo:

O recebimento de grãos na Distribuição de Insumos é uma etapa importantíssima, por isso é necessário oferecer uma boa preservação dos produtos e das matérias-primas, garantir a movimentação dos materiais e otimizar o espaço do seu armazém! Conte com o Grupo Siagri para a gestão de ponta a ponta do seu negócio.

Marcos Souza

Marcos Souza

Coordenador da Consultoria AgroScore no Grupo. Há mais de 10 anos no Agronegócio, estruturo processos de Distribuidores de Insumos, Lojas Agropecuárias, Armazéns e Originação de Grãos.