Beneficiamento de algodão e a importância da qualidade da fibra

Compartilhe

Como citamos no nosso artigo sobre Colheita de Algodão, a Conab acredita que a safra da fibra, em 2021, chegará a cerca de 2.441 milhões de toneladas de pluma e 3.557 de caroço, no Brasil. E um dos processos essenciais para garantir a qualidade desse produto é o beneficiamento de algodão.

As indústrias têxteis possuem diversas exigências em relação à qualidade do algodão que compram, por isso, os produtores devem estar cada vez mais atentos aos processos de beneficiamento, controle e armazenamento de suas safras.

Neste texto, falaremos sobre o beneficiamento de algodão e detalharemos o que deve ser monitorado para que as características ideias da fibra sejam mantidas.

O que é beneficiamento de algodão?

Em resumo, o beneficiamento de algodão se trata da separação das sementes e da fibra a partir processos mecânicos, sendo a primeira parte do processamento do produto. Essa etapa exige muita atenção, pois a depreciação do algodão deve ser mínima.

Assim que o fardo colhido na lavoura chega no beneficiamento, uma amostra é retirada para avaliação do peso, percentual de umidade, transgenia e teor de pureza do produto. Quanto mais seca a fibra, mais preservada as características do algodão.

Depois disso, o desmanche do fardo é realizado e pode ser de duas maneiras: diretamente na fita da transportadora ou pela passagem em um batedor – após o primeiro desmanche – equipado com grelhas (que fazem com que as impurezas menores presentes na fibra caiam).

Com o fardo desmanchado, o algodão vai para duas linhas de pré-limpeza passando por um equipamento que retira 70% das impurezas existentes, o HLST. Em seguida, o produto vai para a torre secadora e para o batedor inclinado, que finaliza a limpeza retirando os 30% de impurezas restantes. Os processos podem variar de usina para a usina.

Para que a obtenção da pluma seja eficaz, o algodão passa por uma máquina de descaroçamento assim que sai da pré-limpeza. Esse equipamento possui serras e rolos de escovas que retém a pluma separando-a do caroço. É uma etapa muito importante, pois ela evita que a pluma seja contaminada pelo óleo do caroço.

Depois de uma última etapa de limpeza, a pluma de algodão vai para uma prensa e é transformada em pequenos fardos. Quando liberados, esses fardos vão para o transporte ou para o armazenamento.

Controle de qualidade da fibra do algodão

Para o bom controle de qualidade da fibra do algodão, o produtor precisa estar atento a diversos fatores intrínsecos e extrínsecos do produto. São eles: comprimento; resistência; índice micronaire (maturidade x finura); cor; regularidade da massa da fibra; presença de nós, fragmentos de caroços e/ou de contaminantes vegetais.

No Brasil, as indústrias têxteis procuram por fibras 5/6, 6/0 e 6/7 e no geral o algodão brasileiro possui boas características intrínsecas, mas as contaminações ainda são problemas frequentes relacionados aos produtos.

A classificação da fibra é feita a partir do HVI (High Volume Instrumet),um equipamento que mede as características citadas acima. Cada um dos pontos analisados possui um padrão que precisa ser alcançado, por exemplo, a resistência mínima deve ser de 26 g/tex.

Os padrões universais ideais para os fatores intrínsecos e extrínsecos da fibra de algodão podem ser checados neste documento da Embrapa.

Impacto do cultivar e do manejo na qualidade do algodão

É claro que as características do algodão dependem muito do cultivar utilizado pelo produtor rural e do manejo que foi realizado durante a lavoura de algodão. Começando pela escolha do cultivar certo para a região do plantio.

Mas além disso, a fertilidade do solo e nutrição das plantas, a compactação do solo, a época correta de plantio e colheita, o clima, o controle de pragas e o processo de beneficiamento de algodão também são de extrema relevância para a qualidade final da fibra.

Conclusão

Neste artigo falamos sobre o processo de beneficiamento de algodão, a primeira etapa do processamento desse produto em que as plumas e os caroços são separados em usinas.

Também abordamos a importância da manutenção da qualidade da fibra para atender as exigências dos compradores, tudo dentro dos padrões ideais do algodão.

Com o App Algodoeira, do Grupo Siagri, o produtor rural tem mais facilidade na hora de realizar o emblocamento de fardos (que ocorre antes do beneficiamento),tudo isso de forma integrada ao ERP AgriManager.

Com o aplicativo é possível fazer a conferência com a câmera do smartphone, ter mais segurança na expedição de fardos e classificar o padrão da pluma com apenas um toque no celular. Saiba mais, solicitando uma demonstração gratuita com um dos nossos consultores.

Publicado por:
Arquiteto de soluções na Siagri com mais de 9 anos de experiência no agronegócio. Especialista em Ciências Contábeis e Sistemas ERPs.