CMV na Revenda Agrícola: o que é e como calcular?

Compartilhe

Estabelecer e monitorar indicadores na Revenda de Insumos Agrícolas é indispensável para uma gestão eficiente. Afinal, eles ajudam a prever cenários, entender melhor a realidade dos seu negócio e tomar decisões com base em dados. O CMV é um desses indicadores que influencia na lucratividade da operação.

O Custo de Mercadoria Vendida (CMV),envolve áreas de logística, financeiro e planejamento.

Ou seja, com esse índice é possível observar como está o estoque da sua Revenda, as datas de validade, a movimentação de produtos dentro do depósito, os que estão dando mais lucro ou os que estão gerando prejuízos.

O que é CMV? Para que ele serve?

O CMV (Custo de Mercadorias Vendidas) é um indicador financeiro que calcula os gastos para produzir ou armazenar um determinado item até que ele seja negociado com o cliente.

Nesse caso, trata-se do custo que você tem para comprar e armazenar os produtos que serão oferecidos na sua revenda.

Assim que o cliente sai com o produto do estabelecimento, o valor da transação entra na soma do seu faturamento, mas não do lucro. Ou seja, você precisa descontar o gasto que teve com a compra do item no preço final de venda.

O grande diferencial desse indicador é que ele não considera apenas o valor que foi pago ao fornecedor pelos produtos, mas também os gastos com o estoque. E por mais que os itens em estoque aumentem o ativo da empresa, eles ainda representam custos.

O cálculo também pode ser usado para demonstrar resultados por período, categorias de produtos, no gerenciamento de filiais etc.

Antes, de calcular, o que não deve ser considerado?

Uma revenda possui centenas de gastos e despesas mensais e como o objetivo do CMV é encontrar o lucro bruto, alguns elementos não devem constar nesse cálculo, como:

  • Impostos deduzidos sobre o faturamento, como o ICMS, por exemplo;
  • Contas administrativas, como gastos com telefone ou internet e aluguel de espaço;
  • Despesas operacionais ou de entrega, como o frete;
  • Passivos financeiros do tipo empréstimos e seus respectivos juros;
  • Custos relacionados aos colaboradores como, por exemplo, as comissões.

Assim é mais simples estipular os proveitos de forma bruta, exata e ideal para delimitar se os números de faturamento asseguram a saúde financeira de acordo com o cálculo do CMV.

Como realizar o cálculo de CMV?

O cálculo do CMV envolve uma série de variáveis, por isso, há várias formas de realizar esse cálculo e entender os custos das mercadorias vendidas de acordo com o estoque.

Cálculo geral do negócio

Para chegar ao CMV geral do negócio, deve ser feita a soma do estoque inicial (EI) com as compras do período analisado (C),menos o inventário ou estoque final (EF). Assim, chegamos à seguinte fórmula:

CMV = EI + C – EF

Vamos ao exemplo?

Supondo que tenha um estoque inicial 50 produtos no início do mês, a um custo de estoque total de R$ 50 mil e ao longo do mês foram adquiridos outros 20 insumos por R$ 20 mil. No final do mês, restaram 10 unidades, avaliadas em R$ 10 mil. Nesse caso, o CMV do período seria de R$ 60 mil.

Cálculo por produto

A fórmula geral do CMV também pode ser usada para calcular o custo do produto unitário, com a diferença de que isso exige um cálculo para cada tipo de item.

Na Revenda, você pode utilizar esse cálculo para encontrar o CMV unitário de cada insumo.

Para isso, basta somar o valor do estoque inicial (EI) com as compras do período analisado (C),menos o inventário ou estoque final (EF).

Se no início do mês, sua revenda possuía R$500 em um insumo e em 30 dias adquiriu R$1 mil do mesmo produto e ao final do período chegou com R$ 550 em estoque. Logo, temos:

CMV = R$ 500,00 + R$ 1.000,00 – R$ 550,00

CMV = R$ 950,00

Com o CMV a R$ 950,00, se você vendeu R$ 2.350 em um insumo no mês, seu lucro bruto foi de R$ 1.400,00 com esse produto.

Por meio desse dado, você consegue entender melhor a solidez do seu estoque, suas vendas e rendimentos.

Cálculo considerando devoluções

Também é possível somar as devoluções de vendas (DV) e subtrair as devoluções de compras (DC) no cálculo geral, se for necessário.

Neste caso, são inseridas duas variáveis a mais na fórmula. São elas:

  • Devoluções de venda: registra as mercadorias que retornam ao estoque a partir da logística reversa;
  • Devoluções de compra: são produtos devolvidos ao fornecedor. Portanto, os produtos saem do estoque.

A fórmula fica assim:

CMV = EI + C + DV – DC – EF

Na Revenda, onde a relação com os fornecedores deve ser mantida de perto, as devoluções de compra ainda podem acontecer por questões de estoque e considerar esse ponto ao realizar o cálculo do CMV é de extrema importância.

Controle de estoque e organização: CMV aplicável

A gestão de estoque faz uma enorme diferença para o retorno financeiro do seu negócio, principalmente quando estamos falando de grandes volumes de produtos, como sacas de sementes e lotes de defensivos.

E além de controlar o estoque, considere algumas outras dicas para manter um custo adequado para o armazenamento dos produtos:

  • Registre todos os produtos que entram e saem, anotando código, descrição, data de chegada, data de saída e o valor pago por ele;
  • Estabeleça prazos para compra de mercadorias de acordo com a saída média do estoque;
  • Integre as operações de venda e estoque, pois isso facilita na hora de coletar os dados e fazer os pedidos dos produtos.

Fazer o cálculo do CMV ajuda a apontar o quanto foi investido na aquisição e armazenamento da mercadoria, bem como quanto a empresa teve de retorno. Além disso, esse índice pode trazer economia de recursos, maior organização, planejamento de investimentos e uma análise baseada em dados da saúde financeira do seu negócio.

Dessa forma, com o CMV, você melhora o planejamento de compras, consegue preços mais competitivos e garante um estoque mais equilibrado!

Publicado por:
Coordenador de Consultoria em Gestão com mais de 10 anos de experiência no agronegócio. Especialista em Liderança e Gestão Empresarial e Processos Gerenciais e Administração de Empresas.