Loja agropecuária on-line: monte a sua em 7 passos + benefícios

Compartilhe

Como reflexo dos últimos anos, a maneira como os consumidores fazem suas compras se transformou. Hoje, 71% dos brasileiros passaram a preferir as compras online, de acordo com pesquisa da CNN. Por isso, o investimento em uma loja agropecuária on-line deve estar nos seus planejamentos.

Em 2021, o comércio on-line chegou a 1,59 milhão de sites, número que representa 6% do varejo brasileiro, de acordo com dados levantados por pesquisa do PayPal e da BigDataCorp.

Ou seja, é chegado o momento de digitalizar sua loja agropecuária e aproveitar todos os benefícios que um varejo on-line pode oferecer!

Para que você consiga analisar se é o momento certo para vender na internet, criamos um passo a passo para que você possa entender melhor este universo e planeje sua loja nos mínimos detalhes.

3 benefícios para investir em uma loja agropecuária virtual em 2022

A loja de produtos agropecuários está inserida em um mercado de constante evolução.

Dados de um estudo sobre tendências de mercado mostra que houve aumento de receita de 5,8% no mercado de agroquímicos no ano passado. Em volume, a quantidade de defensivos aplicados no Brasil cresceu 6,6% na comparação de 2020 com o ano anterior, somando 975,1 mil toneladas.

O cenário positivo impulsiona a abertura de novas empresas. Mas se você precisa de mais alguns motivos para fazer esse investimento, separamos 3 para você. Confira:

1.Os custos são baixos

É claro que montar uma loja virtual requer investimentos, mas eles são muito menores quando comparados a abrir uma loja física.

Afinal, não há necessidade de se preocupar com mais um ponto comercial.

Aqui, os investimentos serão voltados a tecnologia e ao controle de estoque. Portanto, realizar a gestão de tudo aquilo que entra e sai da sua loja é de extrema importância, além de controlar o inventário e não deixar de atualizar o portfólio de produtos.

2. Existe uma oportunidade de atingir um público maior

A mais recente Pesquisa ABMRA Hábitos do Produtor Rural, mostrou que 7 em cada 10 produtores estão presentes nas mídias sociais. O avanço digital está cada vez mais presente no campo e essa pode ser sua oportunidade!

Vendendo pela internet você alcança públicos em qualquer cidade do seu estado ou do Brasil, o que fortalece a sua marca e o seu negócio.

Nesse caso, o investimento em mídias sociais pode ser uma boa jogada!

O conteúdo chega diretamente aos seus seguidores e pode ser facilmente compartilhado. Publique nos Feeds das redes posts anunciando os produtos com desconto e reforce as promoções nos Stories para apresentar os produtos e convidar os seguidores a visitar seu e-commerce.

Não deixe de responder às dúvidas e comentários enviados pelos seguidores. Lembre-se de que as imagens fazem muita diferença para se destacar nas redes, então invista em bons materiais visuais.

Você também pode utilizar o bom e velho e-mail marketing para divulgar as promoções de maior destaque em sua campanha. Insira imagens dos produtos e links para as páginas de compra.

3. Sua loja fica aberta 24 horas por dia

A sua agropecuária virtual não estará aberta somente no horário comercial. Uma vez on-line, os seus clientes poderão adquirir seus produtos 24 horas por dia, durante todos os dias do ano.

Além de ser uma comodidade para o consumidor, que pode comprar a hora que puder e de onde estiver, o funcionamento em tempo integral permite que você aumente o volume de vendas.

O horário do envio de produtos é estabelecido por você, mas as vendas ocorrem em qualquer instante.

Passo a passo para montar sua loja agropecuária on-line

Todas as decisões, estratégias, gerenciamento de vendas e até mesmo ações futuras, estão diretamente ligadas ao planejamento da sua loja agropecuária on-line. E esse é o primeiro passo para começar o seu negócio virtual:

1.Determine e planeje um investimento

O primeiro passo para montar uma loja virtual não poderia ser outro, a não ser determinar o investimento para tocar o seu negócio. Nesse sentido, você precisará analisar uma série de fatores, como:

  • Quais produtos do seu mix serão disponibilizados;
  • Qual será a estrutura de vendas (falaremos sobre isso no decorrer do artigo);
  • Quais os meios de entrega e a logística;
  • Quais a estratégias de marketing e assim por diante.

Uma dica interessante para quem não quer se perder em meio às finanças, é dividir o montante inicial que você tem para investimento em 12 partes iguais. Assim, você vai investir apenas 1/12 desse montante por mês, garantindo capital suficiente para o primeiro ano de atividades.

Não ter esse cuidado pode colocar suas operações em risco, comprometendo o fluxo de caixa e o pleno funcionamento do negócio.

2. Decida entre estrutura própria ou marketplace

Ao montar uma loja virtual, é preciso pensar em todos os investimentos necessários para que a operação funcione com eficiência. Plataformas, meios de pagamentos, segurança, estrutura física, logística, backoffice, marketing, atendimento.

E todas essas demandas exigem um preparo maior de quem está à frente de um e-commerce.

Com uma estrutura própria, é você quem decide desde o preço, até as formas de pagamento que vai oferecer e aceitar. Quem vai criar e alinhar toda estratégia de marketing e comunicação, estruturar o SAC e definir qual o melhor jeito de fazer o pós-atendimento da loja.

A desvantagem é, justamente, criar toda estrutura da sua loja é, primeiramente, o gasto que isso implica.

Por isso, muitos lojistas investem em marketplaces.

O marketplace nada mais é do que um e-commerce grande, já estabelecido no mercado, abre sua vitrine para que pequenos varejistas possam anunciar seus produtos naquela loja e vender através dela.

Para quem opta pelo marketplace, a vantagem é que seus produtos ganham uma visibilidade grande logo de cara, sem necessidade de muito investimento para que isso aconteça. Outro benefício é que os marketplaces dão acesso a serviços de consultoria de marketing, ferramentas de controle de estoque e parceria com meios de pagamentos.

O agronegócio, um grande marketplace que busca gerar mais negócios e mais valor para o dia a dia do produtor é a Orbia. Ela conecta o agricultor a uma rede para facilitar seus processos: a compra de insumos via marketplace, a troca de pontos e resgate de benefícios e, por fim, a venda de produção e acesso ao crédito.

3. Estruture o seu modelo de entregas

A construção de uma reputação sólida e de um bom relacionamento com os clientes passa, principalmente, pelas entregas de qualidade.

Por isso, um ponto chave de como montar um e-commerce é estruturar muito bem a sua rede de parceiros: dos fornecedores à logística responsável pela entrega.

Fornecedores

É importante fazer uma pesquisa minuciosa quanto a reputação, preços e prazos de entrega dos seus fornecedores. Além disso:

  • Compare preços;
  • Tenha relação com, pelo menos, dois fornecedores de cada tipo de suprimento do seu e-commerce. Dessa forma, não fica dependente de uma única empresa e não deixa de honrar o seu compromisso com o consumidor;
  • Faça negociações para fazer o pagamento a prazo. Assim, mantém o capital de giro e certa segurança financeira para suprir imprevistos;
  • Tenha em mente também a distância desse fornecedor até o seu estoque. Custos com frete podem encarecer o seu produto final.

Logística

O valor do frete impacta na conversão de vendas e os prazos praticados podem ser determinantes para a satisfação e fidelização do seu consumidor. Por isso, é importante buscar alternativas rápidas e eficientes e, ainda assim, com custos reduzidos.

De forma geral, há três modelos de entrega:

  1. Logística própria: todo o processo de entrega é de responsabilidade total do vendedor. Ou seja, você precisa gerir e realizar cada etapa – do armazenamento de estoque à entrega do produto;
  2. Logística parcialmente terceirizada: as entregas acontecem quando o vendedor contrata serviços de outra empresa, mas ela não é responsável por todo o processo de entrega;
  3. Logística terceirizada (fulfillment): nesse caso, uma empresa especializada é contratada para cuidar de todas as etapas da entrega, inclusive do estoque.

O fulfillment é um sistema de logística mais elaborado e, por isso, também conta com custos mais elevados.

Coloque na balança os prós e contras de cada modelo logístico e escolha aquele que apresentar o melhor custo-benefício para o seu negócio e para o seu cliente.

O importante é que seu site permita que o possível cliente calcule o valor do frete e receba seus produtos sem atrasos ou defeitos.

Precisa ficar atento também a questão das políticas de devoluções e trocas.

Grande parte dos consumidores online efetuam compras apenas por ter a possibilidade de devolver o produto caso queiram ou precisem, o que se trata de uma espécie de respaldo para o cliente, que não pode ver pessoalmente ou tocar o produto antes de comprá-lo.

4. Determine o mix de produtos da loja

Esse mix é o conjunto de produtos que tem o maior potencial de vendas junto ao seu público-alvo.

Para quem está começando, o ideal é não vender uma infinidade de tipos de produtos.

O ideal é que, inicialmente, você foque em uma única categoria e, dentro dela, busque se diversificar.

Quando você delimita o seu mix de produtos de acordo com o nicho que quer atingir, é muito mais fácil tornar-se um expert e ser reconhecido como autoridade de vendas naquele segmento. E, aos poucos, quando essa autoridade for uma realidade, você poderá expandir o seu mix, fazendo isso de uma forma consciente.

5. Invista em marketing digital

Todos sabemos o quão importante é o marketing para o negócio e o eu potencial de aumentar as vendas, por meio de anúncios, propagandas na televisão, no rádio, outdoors, entre vários outros.

Com o avanço da internet, essas estratégias tiveram que ser adaptadas para a nova realidade do varejo.

Nas redes sociais, as lojas buscam falar de forma ágil com seus seguidores, oferecendo mais fotos dos produtos, comentando assuntos do momento, comunicando de uma forma mais leve, respondendo prontamente e interagindo, inclusive, com outras marcas.

Agora, a ideia é usar o marketing para fidelizar o cliente e cativá-lo. Essa relação estreita que vocês construíram levá-lo à conversão será muito mais fácil.

6. Aposte no SAC 2.0

Mesmo comprando online, o consumidor quer ser atendido por uma pessoa, quer ter a sensação de estar sendo ouvido por pessoas que realmente se importam com seus problemas.

Pesquisas mostram que, mesmo que o cliente tenha tido uma experiência negativa com a loja, um bom atendimento pode reverter essa primeira impressão. Ou seja, existem maneiras de fidelizar os clientes da sua agropecuária.

Por isso, desenvolva uma estratégia de atendimento e invista em capacitação da equipe, caso você já tenha uma operação grande suficiente para isso.

Esteja disponível nas redes sociais, tirando dúvidas, solucionando problemas e ouvindo reclamações. Também é bom disponibilizar um número de telefone durante horário comercial e, quem sabe, estar presente em aplicativos como WhatsApp para ajudar os consumidores.

7. Conheça as normas e obrigações legais

Ao montar uma loja agropecuária on-line, é preciso se atentar às normas desse tipo de comercialização.

Além de ter características muito próprias, o e-commerce também tem alguns pontos na legislação muito particulares, como o Decreto Federal 7.962/13 – A Lei do E-commerce.

Nela, fica estabelecido que algumas informações no site da loja precisam estar claras e de fácil acesso, como a razão social, o endereço físico, CNPJ, telefone para contato e o formulário de contato, ou e-mail.

Na página do produto, é preciso que as informações estejam claras, como descrição detalhada, medidas e material de fabricação. As opções de pagamento (como parcelamento e incidência, ou não, de juros) e os prazos de entrega também devem estar em local privilegiado na página.

Além disso, quando o cliente fechar o carrinho de compras, é preciso que apareça uma confirmação de compra e que essa confirmação seja enviada por e-mail.

Outro ponto importante deste decreto é o do direito de arrependimento. O cliente tem até 7 dias (a partir da data de entrega da mercadoria) para se arrepender da compra. Assim, ele pode devolver o produto sem custo algum e sem precisar se justificar, desde que o produto esteja em perfeitas condições.

Conclusão

Agora que você já conheceu um passo a passo para montar sua loja virtual, é o momento de pensar em processos que abrangem todos seus esforços, como: a montagem do processo de vendas, boas práticas para o atendimento ao cliente e fidelização.

Nossa última dica é: conte sempre com especialistas, profissionais e empresas especializadas. Montar uma loja agropecuária on-line é um processo que requer planejamento e organização. Por isso, boa sorte com os negócios!

Publicado por:
Coordenador de Consultoria em Gestão com mais de 10 anos de experiência no agronegócio. Especialista em Liderança e Gestão Empresarial e Processos Gerenciais e Administração de Empresas.