Manutenção no Armazém de grãos: como realizar?

Realizar a manutenção no Armazém de grãos é indispensável para evitar prejuízos financeiros, máquinas paradas e equipe ociosa.

Os cuidados nas etapas pré e pós-colheita podem ser adotados em todos os armazéns, independentemente do tamanho. Afinal, de nada vale produzir bem, com qualidade e produtividade elevadas, sem que não haja um cuidado até a expedição desse grão.

Saiba como realizar essa manutenção, como se planejar e conte com dicas bônus para manter a qualidade do grão na sua unidade armazenadora.

Manutenção no Armazém de grãos: foque na preventiva!

A manutenção preventiva é aquela feita para reduzir/evitar falhas ou quedas no desempenho dos equipamentos. Envolvendo tarefas sistemáticas como: as inspeções, substituição de peças e reformas.

Para que as unidades armazenadoras prestem serviços de qualidade, é recomendado manutenções preventivas dos circuitos elétricos, estrutura física e maquinários.

Manutenção de circuitos elétricos

Os componentes dos circuitos elétricos são: motores, lâmpadas, quadros de comandos, transformadores, bancos de capacitores, cabos, entre outros.

Os motores devem ser limpos e cuidados conforme especificado pelo fabricante. Para cada equipamento deve ser observado se o motor instalado é o ideal. O que reduz o consumo de energia elétrica.

Já as lâmpadas queimadas devem ser substituídas e as arandelas danificadas reparadas.

Na manutenção dos quadros de comando é recomendado observar se os componentes de proteção são os corretos e se as ligações provisórias feitas durante a safra devem ser refeitas observando os preceitos técnicos.

No caso dos transformadores e bancos de capacitores devem ser verificados as conexões e aterramento. Para os transformadores, em casos necessários, completar o nível de óleo.

Quanto aos cabos elétricos, os danificados necessitam ser substituídos. Geralmente, os danos ocorrem por ação de roedores ou pelo superaquecimento.

Manutenção da estrutura física do Armazém

As estruturas físicas do Armazém, como as moegas e silos, também precisam de atenção. Alguns cuidados que podem ser tomados são:

  • Reparar as rachaduras nas estruturas e calçadas ao redor, evitando infiltração de água, como também o alojamento de insetos da safra anterior;
  • Identificar e reparar pontos de infiltração de águas pluviais, principalmente, nos silos e graneleiros. Afinal, as goteiras podem gerar pontos de aquecimento na massa de grãos;
  • Testar e reparar o sistema de termometria;
  • Promover a limpeza das fossas de drenagem em unidades que possuem problema de alagamento dos túneis inferiores por ocasião do período de chuvas quando ocorre a elevação do lençol freático;
  • Verificar nos sistemas de aeração os estados dos ventiladores, queimadores, canalizações, registros e dutos de distribuição;
  • Reparar as identificações, como por exemplo, os números das moegas, avisos de risco de acidentes, e demarcações das rotas de fuga em caso de acidentes.

Manutenção dos Maquinários

Os maquinários e transportadores requerem manutenções diferenciadas, podendo ser de rotina, emergência e preventiva.

Os maquinários de uma unidade armazenadora correspondem às máquinas de pré-limpeza, limpeza e os secadores. Sendo assim, ao final de cada safra, os secadores devem ser totalmente limpos.

Além disso, antes mesmo do início da safra, também é recomendado avaliar a performance do silo armazenador e do secador. Normalmente realizada conforme especificações dos fabricantes.

Outro fator importante é a necessidade de um plano de controle mais rígido quando há uma alta rotatividade no Armazém, realizando:

  • Inspeção visual pela equipe do armazém para detectar anomalias visíveis e realizar a sua imediata reposição;
  • Revisão semanal pelo responsável de segurança do equipamento de armazenagem para verificar a verticalidade da estrutura e de todos os componentes dos níveis inferiores com notificação, qualificação e comunicação de danos;
  • Inspeção mensal que inclua também os aspectos gerais como a ordem e a limpeza do armazém; com notificação, qualificação e comunicação de danos.

Como manter a segurança do Armazém de grãos em 4 passos

Porque contar com um plano de manutenção para seu Armazém?

Você sabia que realizar atividades de manutenção sem um planejamento gera até 65% de desperdício de tempo? Ou seja, dentro das 8 horas normais de trabalho, apenas 2,8 horas são de fato aproveitadas.

Para minimizar ao máximo essa perda de tempo dentro das atividades de manutenção, o melhor a se fazer é implantar corretamente um plano de manutenção.

Um plano de manutenção planejada está relacionado com a vida útil do equipamento. Nesse sentido, existem diversas ferramentas para montar o plano.

O mais importante é reunir as seguintes informações:

  • Os serviços que serão realizados;
  • Data para realização dos serviços;
  • Responsáveis pela execução dos serviços;
  • Recursos necessários para a execução dos serviços;
  • Prazo de duração da execução do serviço;
  • Custo de cada serviço, custo por unidade e o custo total;
  • Materiais que serão aplicados;
  • Máquinas, dispositivos e ferramentas para manutenção.

6 passos para elaborar um plano de manutenção

Agora que você já sabe o que é um plano de manutenção e os benefícios que ele traz para o Armazém de grãos, veja como elaborar um para o seu negócio em apenas 6 passos:

1.Recolha dados

Antes de começar a fazer o plano de manutenção propriamente dito, é preciso coletar os dados mais relevantes para elaborar um planejamento completo.

Então, faça um inventário de todas as máquinas da indústria e junto a isso coloque o ano em que foram adquiridas, os principais defeitos e falhas que apresentam e outras informações relevantes que venham no manual do equipamento.

2. Faça um checklist

A gestão da manutenção deve ser padronizada para que todos saibam os procedimentos que devem seguir. Um checklist vai ajudar a atingir esse objetivo. Ele precisa conter todas as etapas da manutenção, porque assim facilitará o trabalho do responsável pelos exames periódicos de cada equipamento.

3. Elabore um orçamento

O orçamento é a fase do plano de manutenção em que os custos serão mensurados, depois do checklist feito e do responsável avaliar as condições das máquinas.

É importante que sejam relatadas, por escrito, todas as anomalias encontradas. Assim, o supervisor vai elaborar uma lista das peças que devem ser trocadas e enviar para o setor de compras para que sejam feitas cotações de preços.

4. Defina um cronograma

Após os defeitos serem identificados e a solicitação para as compras das peças ter sido feita, o próximo passo é elaborar um cronograma para que o funcionamento da máquina seja interrompido e as correções e trocas sejam feitas.

Essa paralisação é parcial ou total, a depender do nível do conserto, devendo ser programada depois de consultar e acordar o processo com o setor da produção.

5. Supervisione a manutenção

A supervisão e o acompanhamento contínuo da manutenção permitem manter o padrão de qualidade. Além disso, é possível estabelecer o horário de entrada e saída do local, o preenchimento do relatório de forma correta e se certificar de que todos os procedimentos foram executados devidamente.

6. Analise os indicadores de produtividade

Efetuados todos os passos anteriores, é interessante avaliar e comparar os efeitos do plano de manutenção, conferindo se os objetivos pretendidos foram atingidos e o que pode ser melhorado ao longo do processo. Para tal, crie parâmetros e indicadores de produtividade. Alguns índices que é possível criar são:

  • Tempo médio gasto na manutenção;
  • Intervalo entre os reparos;
  • Rentabilidade por máquina.

Sem dúvida, desenvolver e implementar um programa de manutenção preventiva requer tempo e energia.

No entanto, uma vez em funcionamento com a equipe treinada para utilizá-lo, os benefícios da manutenção preventiva automatizada superam em muito os custos associados à manutenção reativa ou de emergência.

3 dicas bônus para realizar a manutenção

Além da manutenção preventiva e da realização de um planejamento de manutenção, existem outros cuidados que farão a diferença no seu Armazém.

Confira as dicas bônus que reunimos para você:

1.Dicas de almoxarifado (peças principais mais solicitadas)

Fazer o controle de peças de um almoxarifado é essencial para o funcionamento e desenvolvimento da manutenção no Armazém de grãos.

Por isso, mantenha as principais peças quem podem ser utilizadas para a manutenção dos maquinários em estoque. Assim, caso haja necessidade de uma manutenção de emergência, menos tempo será perdido na busca e compra da peça necessária.

2. Contrato com prestadores de serviço de manutenção

A manutenção continuada deve ser considerada pelo seu Armazém de grãos, de maneira que se mantenha um contrato de prestação de serviços com uma empresa especializada de manutenção.

Dessa maneira, é mais simples controlar corretamente as últimas manutenções realizadas e contar com uma equipe profissional.

3. Controle de pragas

Outra maneira de manter a segurança do Armazém de grãos é realizando a limpeza e dedetização com o objetivo de eliminar os focos de proliferação de pragas que podem infectar novos grãos.

Cuidados no recebimento e classificação dos grãos no Armazém

Assim, alguns procedimentos são recomendados, como:

  • Realizar a varredura com antecedência e, se possível, lavar toda instalação inclusive tetos e paredes;
  • Queimar o lixo obtido para evitar a infestação da nova safra;
  • Eliminar tocas de alojamento de roedores;
  • Limpar e desobstruir os canais de escoamento de água.

A etapa de armazenamento é crucial para assegurar os esforços investidos durante o cultivo da cultura. Por isso, manter a segurança realizando a manutenção no Armazém de grãos é tão importante. E é dessa maneira que contribuímos para a rentabilidade do produtor.

Publicado por:
Coordenador de Consultoria em Gestão com mais de 10 anos de experiência no agronegócio. Especialista em Liderança e Gestão Empresarial e Processos Gerenciais e Administração de Empresas.