Cuidados no recebimento e classificação dos grãos no Armazém

A classificação dos grãos no Armazém é realizada para determinar as qualidades extrínsecas e intrínsecas de um produto vegetal, de seus subprodutos e resíduos de valor econômico, com base em padrões oficiais do Mapa.

Ou seja, é a identificação de um produto em grupo, classe e tipo, de acordo com a qualidade.

Essa classificação ajuda a ter uma maior segurança ao Armazém, além de garantir:

  • A qualidade intrínseca e extrínseca do produto transportado e armazenado;
  • O documento de livre trânsito pelo país;
  • O prazo de validade de acordo com o produto.

Por isso, é indispensável ter cuidados no recebimento, classificação e entrega desses grãos. Realizando essas atividades da maneira mais correta e automatizada possível.

Mas como fazer isso?

É o que abordaremos no decorrer do conteúdo. Acompanhe!

Cuidados no recebimento dos lotes de grãos

A classificação de grãos é realizada sempre no seu recebimento e/ou expedição, quando se avalia o estado destes grãos através da análise de uma amostra representativa do lote.

Assim, as principais diferenças encontradas na carga em relação aos padrões são os percentuais de impurezas e de matérias estranhas, a umidade e o percentual de grãos com defeitos graves ou leves acima da tolerância.

Alguns cuidados necessários no recebimento dos grãos, antes mesmo de realizar a amostragem e classificação, são:

Evite filas de caminhões

A gestão de pátio é indispensável para otimizar o gerenciamento do seu Armazém e melhorar o recebimento dos seus grãos.

Isso porque, além de agilizar a fila de recebimento, é possível reduzir as perdas dos grãos que pode aumentar devido à separação para essa pesagem.

Para isso, considere adotar algumas medidas:

  • Melhorar a capacidade de recebimento dos grãos;
  • Facilitar o fluxo de entrada e saída;
  • Contar com um processo de classificação dos grãos;
  • Realizar o gerenciamento de pátio.

No Blog Siagri, já temos um conteúdo completo sobre o assunto, detalhando cada uma dessa medidas:

Filas no Armazém: como evitar problemas e automatizar?

Faça a inspeção visual

A inspeção visual da carga no próprio veículo é o primeiro procedimento realizado para verificar se realmente o produto é passível de classificação.

Inspecione o produto visualmente, observando também as características olfativas. Se a carga estiver dentro dos parâmetros visuais e olfativos, irá para classificação.

O resultado da classificação é que vai indicar a qualidade deste produto, se é boa ou ruim.

Essa é uma ferramenta importante, mas não pode ser a única.

Qualquer procedimento a ser adotado, para receber ou recusar o produto, deverá estar embasado no resultado da classificação dos grãos!

Realize a pesagem integrada

Além de evitar filas de caminhões, a pesagem integrada ajuda a reduzir as perdas dos grãos que pode aumentar devido à separação.

Para isso, conte com uma balança de tamanho adequado para pesagem, que comporte capacidade máxima do caminhão. Dessa maneira, não haverá necessidade de uma segunda ou terceira pesagem.

Como realizar a amostragem e classificação dos grãos no Armazém?

Para uma correta classificação de grãos, alguns passos devem ser seguidos, entretanto, alguns profissionais consideram a amostragem a tarefa mais importante.

Afinal, de nada adianta termos classificadores qualificados e excelentes equipamentos se a amostra final não representa com precisão o total da carga a ser avaliada.

Equipamentos e métodos utilizados

Existem dois métodos para se realizar a amostragem do lote de grãos, sendo:

1.Calador (pneumático) hidráulico: equipamento estacionário, fixado em uma base, utilizado para realizar a amostragem de grãos. O principal entrave desse equipamento é uma menor representatividade da amostra em relação ao calador manual.

Figura 1: Calador hidráulico

Calador manual: equipamento composto por uma barra oca que pode variar entre 1,80 a 2,20 m, com a ponta cônica três “manetes”.

Figura 1: Calador manual

A grande vantagem do calador hidráulico é diminuir, consideravelmente, o esforço físico do operador, enquanto o calador manual apresenta um baixo rendimento operacional.

Passo a passo para realizar a amostragem dos grãos

A amostra é uma parte ou porção de grãos, representativa de um lote, que é selecionada para a análise e classificação e que deverá conter todas as características médias similares do lote do qual foi retirada, indicando sua natureza, qualidade e tipo.

Confira o passo a passo para coletar essa amostra:

  1. Reúna os materiais a serem utilizados: caladores, baldes de plástico e local de anotação;
  2. Colete as subamostras: coletadas em pontos previamente definidos, dependendo de como a carga de grãos estiver apresentada;
  3. Verifique o peso total da carga (lote);
  4. Planeje o número de pontos de onde serão retiradas as subamostras;
  5. Faça a homogeneização das subamostras: um procedimento que garante a representatividade do lote;
  6. Reúna o material e pese os grãos homogeneizados.

Classificando os grãos

A classificação começa retirando-se amostras dos caminhões por meio de uma sonda coletora, fazendo-se a coleta de amostras em pontos diferentes, permitindo ter uma amostra que represente toda a carga.

Assim, essas amostras são encaminhadas para as análises de classificação. Alguns dos exemplos de classificação dos grãos são:

Verificando umidade

A umidade inicial (grão colhido) define se o produto passará ou não pela unidade secadora, bem como o tempo de permanência no mesmo.

Quanto maior o teor de água presente no interior dos grãos maior o período necessário de secagem, em situações onde o percentual de grãos imaturos (grãos de umidade extremamente elevada e maturação comprometida) é alto.

Veja na tabela abaixo, as diferentes temperaturas de secagem utilizadas nos sistemas de secagem:

Imagem 3: Umidade de grãos para armazenamento

Ainda, se o grão não tenha sido armazenado corretamente, pode haver quebra técnica, gerando prejuízos para o Armazém.

Existem alguns procedimentos e passos para que essa quebra de umidade seja evitada, além de uma estimativa do prejuízo que pode ser gerado.

Confira isso e muito mais no conteúdo completo no Blog Siagri:

Evitando a quebra técnica na unidade de armazenamento.

Classificando impurezas

Os grãos são captadores de umidade que geram condições favoráveis ao afloramento de fungos, morada ideal às pragas secundárias, podendo comprometer camadas.

Por isso, é necessário fazer essa classificação para garantir que os grãos não estejam impuros.

O resultado da pesagem das impurezas é descontado do peso bruto (tabela),e não há limite máximo para o desconto. Por exemplo, a soja verde tem um limite de 20% e acima disto é descontado na mesma proporção dos avariados (tabela).

Retirando grãos quebrados ou Ardidos

Os grãos ardidos são aqueles inteiros ou partidos, que devido à exposição a elevadas temperaturas e/ou umidade, sofrem processo fermentativo claramente visível através da coloração marrom adquirida nas partes externas e internas do grão.

As consequências de armazenar produto com percentual de ardidos superior aos limites aceitáveis e aconselháveis não se referem apenas às perdas econômicas, mas também, a questões de saúde humana e animal.

Já o alto conteúdo de grãos quebrados no armazém favorece a deterioração da porção sadia, devido à exposição do tegumento a ser decomposto pela atuação de microrganismos.

Como vimos, a etapa de armazenamento é crucial para assegurar os esforços investidos durante o cultivo da cultura. Por isso, realizar corretamente a classificação dos grãos do Armazém é tão importante. Conte com o Grupo Siagri para automatizar seus processos, conheça nossas soluções para Armazéns.

Publicado por:
Coordenador de Consultoria em Gestão com mais de 10 anos de experiência no agronegócio. Especialista em Liderança e Gestão Empresarial e Processos Gerenciais e Administração de Empresas.