Controle de perda de produção: como minimizar impacto e desperdícios

Compartilhe

O crescimento da produção na agroindústria, aliado aos clientes que estão cada vez mais exigentes, aumenta a necessidade de realizar um rígido controle de perda de produção e desperdícios no processo produtivo.

Essas perdas devem ser vistas como custos que não acrescentam valor ao produto e que são desnecessárias ao trabalho efetivo.

Na agroindústria, é preciso garantir o máximo de aproveitamento de insumos e matéria-prima, adotando um bom controle de estoque e de qualidade.

Assim, de forma a garantir uma operação alinhada, enxuta e confiável, mantendo os padrões da linha elevados, é fundamental investir no controle de perda de produção, assegurando resultados cada vez mais positivos.

Entenda as possíveis causas de perdas e desperdícios de produção e saiba como reduzir seu impacto.

Conheça os tipos de perdas e porque fazer esse controle

Quando falamos em controle de perdas, estamos abrangendo dois aspectos:

  • As perdas materiais, de insumos e produtos.
  • A perda de produtividade, ligada à execução das atividades na empresa.

Implementando um processo de controle, a gestão é capaz de identificar e avaliar riscos, elaborando um plano de ação para minimizar as perdas.

Assim, consequentemente, é possível inibir o desperdício, reduzir gastos, aumentar os lucros e ter mais previsibilidade. Ou seja, você consegue aprimorar toda a saúde financeira e operacional da empresa, alcançando os resultados tão desejados.

Sabendo disso, é preciso identificar os tipos de perdas e desperdícios na sua agroindústria.

Perdas e desperdícios normais

Perdas e desperdícios normais são inerentes à própria produção. Eles podem ser previstos e constituem um esforço necessário para obter o produto final.

É comum que ocorram por diversas situações, dependendo da tecnologia utilizada na produção. Por exemplo:

  • Problemas de corte;
  • Tratamento térmico;
  • Reações químicas;
  • Evaporação.

As perdas normais durante o processo produtivo devem ter seus custos alocados ao custo dos produtos fabricados.

Perdas e desperdícios anormais

Já as perdas e os desperdícios anormais são involuntários, sem previsão, como processos obsoletos, quebra de máquinas, falta de manutenção, erros humanos, entre outros.

Essas perdas não são incorporadas ao custo dos produtos finais, impactando diretamente no resultado da empresa.

As perdas anormais durante o processo produtivo devem ser tratadas como perdas do período (despesas operacionais).

Como as perdas e os desperdícios contribuem para a redução da lucratividade nas empresas, é muito importante que se identifique suas causas para correção imediata, atualização de estoques e apuração real de custos de produção.

Como ter um controle de perdas de produção eficiente?

O controle de perdas de produção é composto por diversas práticas, que podem ser definidas de acordo com as necessidades da sua agroindústria.

As perdas acontecem em diversas etapas industriais e derivam de diferentes causas. Estoque desorganizado, erros de transporte, falta de um sistema de gestão industrial e falta de capacitação da equipe são algumas que podemos destacar.

Mas o que fazer para ter um controle eficiente dessas perdas de produção? O que pode ser feito, então, para alcançar uma eficiência maior nesse setor?

Confira as dicas que reunimos:

Realize o monitoramento contínuo do estoque

A disponibilidade de insumos e matéria-prima é condição essencial para que a operação possa ser executada. Assim, antes mesmo de pensar em produtividade, é preciso focar nos processos de compra e armazenagem.

Se um único item de produção estiver em falta, todo o processo é afetado e a quantidade do produto final para venda é reduzida.

Na agroindústria, é preciso levar em consideração vários fatores que dizem respeito a gestão de estoque, como padrões de demanda, condições e prazos de entrega dos fornecedores.

Algumas dicas para realizar o controle de estoque na agroindústria são:

  • Registre tudo: cadastrando todos os seus produtos no estoque, a gestão fica mais organizada e você saberá exatamente quando há falta ou excesso de produtos, sabendo o momento certo para realizar novas compras com seus fornecedores.
  • Acompanhe o fluxo de entrada e saída: estes precisam ser registrados a cada movimentação. Assim, é preciso também que todo artigo tenha um documento, seja uma nota fiscal ou ordem de produção, entre outros;
  • Inspecione sua produção: os itens devem ser acompanhados de perto para evitar desperdícios e prejuízos, adquirindo somente o que será utilizado;
  • Se atente ao ponto de ressuprimento: ele acontece quando a quantidade de mercadoria no estoque chega a uma quantidade limite, sendo necessária a reposição.

Confira as dicas completas no conteúdo do Blog Siagri:

Como controlar o estoque na agroindústria

Realize auditorias periódicas

É por meio das auditorias que as empresas recebem selos e certificados que comprovam que elas estão cumprindo normas e protocolos, atuando dentro da legislação imposta para cada segmento. Isso é fundamental para que tenham credibilidade no mercado.

E as auditorias ainda são essenciais ao controle de perdas. Elas ajudam a monitorar o processo de produção e garantir que as diretrizes estabelecidas pelo controle de qualidade estão sendo seguidas.

Conte com equipamentos de qualidade + manutenção preventiva

As máquinas e equipamentos devem trabalhar com precisão para que não tragam prejuízos, como o desperdício de ingredientes.

Além disso, é indispensável que funcionem regularmente, sem falhas e defeitos. Afinal, quando a produção precisa ser interrompida para realizar correções e ajustes há um atraso, que prejudica a produtividade.

Por isso, é importante atuar de uma forma preventiva com o planejamento e controle periódico.

Assim, é possível agendar o serviço para os momentos mais oportunos, justamente com o objetivo de não interromper a rotina da fábrica. E ainda prolongamos a vida útil dos maquinários, evitando os desgastes precoces em decorrência da sobrecarga de uso.

Invista na capacitação da equipe

O treinamento é uma etapa indispensável da preparação das equipes, independentemente do setor que atuam dentro da empresa. Todos os profissionais precisam estar bem preparados para seguirem os programas de qualidade e os protocolos.

Sendo assim, é preciso que essas definições sejam sempre reforçadas para os colaboradores, auxiliando no controle de qualidade da operação.

Portanto, promova treinamentos periódicos sobre o uso consciente de recursos, cujo impacto não só afeta o negócio, como também o meio ambiente.

Crie uma política interna de prevenção

Para realizar o controle de perda de produção, é possível criar uma política interna de prevenção. Esse documento deve especificar, portanto, diretrizes acerca do manuseio e condições de armazenamento adequados para cada grupo de produtos.

Assim, cada colaborador envolvido com a produção pode compreender de forma clara quais são seus objetivos, responsabilidades, direitos e deveres em relação aos recursos da empresa.

Com a política redigida, é importante definir uma equipe dedicada ao controle de perdas, com profissionais essencialmente direcionados a este fim. Eles devem atuar na identificação de falhas, bem como soluções estratégicas para mitigação de desperdícios e prejuízos

Implante o monitoramento de indicadores de performance

Você deve considerar o acompanhamento de KPIs (indicadores de desempenho) para toda e qualquer rotina. Afinal, são eles que atestam o desempenho do trabalho e permitem saber se os esforços da produção estão surgindo efeito.

Entre os melhores indicadores para se acompanhar no controle de perdas na produção, estão:

  • Quantidade total de produtos perdidos em determinado período;
  • Custos totais envolvidos com os produtos perdidos;
  • Percentual de perdas sobre a quantidade total disponível em estoque;
  • Percentual do valor das perdas sobre o valor total do estoque.

Para acompanhar esses indicadores, é importante implantar planos de ação, que ajudam na identificação de falhas com rapidez.

O controle de qualidade no controle de perda de produção

Existem diversas razões para fazer um bom controle de qualidade, uma delas é seguir as regulamentações de órgãos como a ANVISA e o Ministério da Fazenda. Outra, é assegurar a padronização dos produtos para que, lote após lote, eles apresentem as mesmas características físicas, químicas e nutricionais.

Esse processo de controle de qualidade é o que vai garantir a segurança dos alimentos produzidos, como na agroindústria.

Além disso, manter essa gestão é uma forma de fazer o controle de perdas. Isso, porque, acompanhando cada etapa da produção em todos os lotes, se mantém sempre as mesmas características, o que evita erros durante esse processo, que exigiriam descartes.

Além de identificar falhas e padronizar os processos, realizar esse controle de qualidade traz outros inúmeros benefícios para sua agroindústria, como:

Aumento de lucratividade

Ao adotar um programa de controle de qualidade, os processos são padronizados. E por isso, é possível adotar a automatização, otimizando as tarefas, de modo que elas sejam eficazes e eficientes.

Com isso, a agroindústria pode ter um aumento significativo de produtividade. Afinal, a produção se torna mais eficiente, já que é possível fazer mais em menos tempo e com gastos menores, além de minimizar erros que levariam a prejuízos financeiros.

Melhora a satisfação do cliente

O consumidor quer receber um bom produto, e isso, no setor agro, envolve diversos aspectos. Afinal, em uma distribuição de insumos, bons produtos, podem ser o que fazem o cliente comprar mais e ser fidelizado.

Ou seja, para seu cliente final, ter um produto de boa qualidade é essencial.

Agilidade na produção

A adoção de um bom controle de qualidade leva a uma produtividade maior, já que as etapas são padronizadas.

Dessa forma, elas se tornam muito mais ágeis e, ao mesmo tempo, evitamos erros.

A grande vantagem da padronização de processos é fazer com que a linha de produção se torne uma rotina, e todos os protocolos são inseridos nela. Então, basicamente, basta seguir um passo a passo, preestabelecendo como tudo deve acontecer.

A importância da tecnologia no controle de perdas na agroindústria

Um dos principais erros que prejudica o controle de perdas é a descentralização de informações dentro da empresa. Controlar rigorosamente todos os recursos que compõem uma indústria é impossível quando elas ficam espalhadas e perdidas em setores diferentes.

Felizmente, a tecnologia proporciona ferramentas que viabilizam essa integração, como é o caso dos softwares de gestão integrada (ERP).

Esse tipo de solução reúne tudo que a gestão precisa em uma só plataforma, revelando dados sobre movimentações da produção, estoque e muito mais.

Relatórios de indicadores e rotina de inventário também se tornam mais ágeis, simplificando atividades que podem tomar mais tempo que o necessário.

Conte com as soluções específicas para agroindústria da Siagri e realize o controle de perda de produção de maneira simplificada e integrada. Conheça nossas soluções e tudo que podemos fazer para melhorar seus processos produtivos.

Publicado por:
Arquiteto de soluções na Siagri, com mais de 11 anos de experiência em ERPs. Especialista em Gestão de Negócios e Controladoria Empresarial e Processamento de Dados, Análise e Desenvolvimento de Sistemas.