Fertilizantes em 2022: mercado, manejo, plano nacional e importação

Compartilhe

Um dos assuntos mais comentados dentro do agronegócio no primeiro trimestre de 2022 foram os fertilizantes, já que produtores rurais e distribuidores agrícolas estão sendo afetados pela falta desses produtos no mercado brasileiro.

A principal causa atribuída para essa falta de fertilizantes em 2022 é geopolítica: a Guerra entre Ucrânia e Rússia está dificultando a importação dos itens desses dois países.

O Brasil importou, no último ano, 85% dos fertilizantes utilizados na agricultura e 23% deles foram de origem russa, segundo a BBC. A maior preocupação atual é que falte potássio para abastecer o mercado mundial.

Neste artigo, vamos falar sobre os possíveis impactos que esse cenário poderá gerar no agronegócio brasileiro.

O que são fertilizantes?

Os fertilizantes são divididos em minerais e orgânicos e são essenciais para o desenvolvimento de plantas, pois oferecem a elas os nutrientes responsáveis pela germinação, produção de folhas, frutos e sementes.

Apesar de ser o quarto país no ranking de maior uso desses produtos (atrás de China, Índia e EUA),o Brasil é o maior exportador de fertilizantes. Isso ocorre, de acordo com especialistas da Embrapa, porque grande parte do solo brasileiro é pobre em nutrientes.

Mesmo com muita água, profundidade e sendo planos, solos como o do Cerrado brasileiro precisam ser fertilizados para que boas plantações sejam feitas. Usando conscientemente as técnicas de fertilização, os produtores alcançam mais produtividade em suas lavouras.

Manejo

Os produtores rurais podem optar por vários tipos de manejo, a escolha dessas técnicas depende da necessidade de cada plantio e do maquinário disponível e do momento em que será aplicado, podendo ser durante a:

  • Semeadura (ideal para produtos químicos e granulados);
  • Adubação (ideal para químicos e granulados, orgânicos, e produtos em pó como a calagem);
  • Aplicação pneumática;
  • Irrigação (utilizada para produtos líquidos);
  • Pulverização (ideal para produtos foliares).

Mas, a aplicação de fertilizantes depende também de outros fatores como o clima, tipo de solo, estágio de desenvolvimento das plantas e quais cultivares estão sendo utilizados.

Mercado de fertilizantes

O aumento da demanda mundial por alimentos provocou o crescimento do uso de fertilizantes em solos brasileiros nos últimos anos. Isso fez com que os preços desses produtos também crescessem, principalmente os que tem origem petrolífera.

Em 2022, esse cenário se agravou por conta do conflito entre Rússia e Ucrânia, colocando o mundo todo em um duro cenário: a falta de NPK (Nitrogênio, Fósforo e Potássio) no comércio.

De acordo com especialistas, a gravidade varia de insumo a insumo e o Brasil ainda tem a possibilidade de exportar os fertilizantes de outros países como Canadá, Irã e Marrocos. Mas, outros compradores também estão de olho nessas possibilidades.

Outra opção é a produção nacional, que diminuiu nos últimos anos mesmo com a crescente demanda por fertilizantes no Brasil. Segundo a Embrapa, a cadeia de fertilizantes e insumos agrícolas no geral diminuiu 33% nos últimos 20 anos.

Plano Nacional de Fertilizantes (PNF)

Até o fim de março de 2022, o Governo Federal irá lançar o Plano Nacional de Fertilizantes (PNF),que já vinha sendo produzido antes da Guerra entre Rússia e Ucrânia. O grande objetivo desse plano é reduzir a importação de fertilizantes feita pelo Brasil.

Entretanto, especialistas do setor químico afirmam que não existem alternativas rápidas para que o Brasil não dependa de fertilizantes estrangeiros. Os resultados efetivos do PNF só viriam a longo prazo, em 2030 e depois 2050.

Caravana Embrapa FertBrasil

A Embrapa realizará uma caravana, por cerca de cerca de 30 polos produtivos de nove macrorregiões agrícolas do Brasil, para promover a eficácia do uso de fertilizantes nos solos nacionais.

O objetivo da caravana FertBrasil é diminuir o custo de produção das lavouras e estimular a adoção de novas tecnologias e boas práticas de manejo do solo, água e plantas. Essa medida está dentro do Plano Nacional de Fertilizantes (PNF).

Conclusão

Os produtores rurais brasileiros estão enfrentando o desafio da “crise de fertilizantes 2022”. Segundo o Governo, ainda existe estoque de fertilizantes disponível para produtores da safrinha, mas ainda não há dados sobre como será a comercialização desses produtos durante a safra.

Por isso, algumas medidas podem ajudar na otimização do uso desses produtos nas fazendas. Uma delas é o investimento em tecnologia de gestão, leia nosso texto “Vale a pena investir em um sistema de gestão para o agronegócio?” e saiba mais.

Publicado por:
Arquiteto de soluções na Siagri com mais de 9 anos de experiência no agronegócio. Especialista em Ciências Contábeis e Sistemas ERPs.